03/09/2013
PACO EDITORIAL
Pesquisadora brasileira compara locuções de futebol no Brasil e na França
Em livro lançado esse mês pela Paco Editorial, Ana Clotilde Thomé Williams considera a locução brasileira mais criativa e carregada de emoção

Para a pesquisadora Ana Clotilde Thomé Williams, futebol é arte tanto para os olhos quanto para os ouvidos. Isso porque ela caracteriza a criatividade do locutor brasileiro como uma forma artística de descrever um jogo, quando comparada à locução francesa. O argumento faz parte do livro ‘O Jogo Narrado: um cruzamento linguístico-cultural da locução de futebol no Brasil e na França’, publicado pela Paco Editorial, editora especializada em publicações acadêmicas , que será lançado nesta quarta-feira, às 18h30, na livraria Martins Fontes Paulista, na Avenida Paulista, em São Paulo.

O livro, que surgiu como tese a ser defendida na Universidade de São Paulo, compara o estilo de narração dos jogos de futebol no Brasil e na França, e assim, consegue mostrar que o locutor brasileiro é muito mais criativo na hora de transmitir o que acontece em campo. 

“Um jogo de futebol é cantado exatamente na hora em que está acontecendo pelo maior menestrel da atualidade: o locutor esportivo. É ele que conta, de improviso, e no seu estilo, a arte e os movimentos do jogo. Assim, o futebol é arte para os olhos – e também para os ouvidos”, diz um trecho da obra. 

A autora aborda diversas Copas do Mundo, em especial a de 1998, quando a França levou a taça após vencer o Brasil por 3x0. Se em campo o placar foi desfavorável para o Brasil, nas cabines de rádio e TV o resultado foi diferente. 

No livro a autora defende que para os brasileiros a locução é percebida como um drama. Ela é vivenciada a cada momento por meio de metáforas, frases justapostas e ritmo intenso. Comparativamente, a narração do francês é tida como uma missão a ser cumprida, e a lógica deve sempre predominar sobre a emoção. No Brasil, o futebol, por causa do apelo dramático, perpetuou-se na música, na poesia, na literatura, na arte em geral. O mesmo não ocorre na França, onde nem sempre futebol e arte se misturam.

Além do estudo linguístico, Ana Clotilde também usou entrevistas com torcedores e locutores brasileiros e franceses, incluindo o já falecido Thierry Roland, um dos mais populares narradores esportivos da TV francesa. Tanto a locução de rádio, quanto a locução televisiva foram analisadas. “No rádio o ouvinte depende do locutor para visualizar o jogo, já na TV o telespectador também é testemunha do que acontece”, explica a autora.

Para proporcionar fácil entendimento ao leitor, Ana Clotilde inclui poesias e músicas populares, como as do cantor Gilberto Gil. 

O livro pode ser adquiro pela loja virtual da Paco, editora especializada em publicações acadêmicas. Mais informações podem ser encontradas no site: http://loja.livrariadapaco.com.br <http://loja.livrariadapaco.com.br/direitoambiental.html> 

Sobre a autora - Ana Clotilde Thomé Williams é doutora e mestre em linguística pela Universidade de São Paulo, mesma faculdade em que se formou bacharel em francês e português. Nasceu no Brasil, mas atualmente mora nos Estados Unidos, onde dá aulas de Língua Portuguesa na Northwestern University, Chicago.

Sobre a Paco Editorial - A Paco Editorial foi fundada em 2010 e atende uma demanda específica de publicações acadêmicas, provenientes de conclusões de teses, dissertações, ensaios, monografias, conjunto de artigos, dentre outros conteúdos de perfil acadêmico. A missão da editora é auxiliar pesquisadores na disseminação do conhecimento acadêmico, editando e divulgando seus trabalhos. A editora cresce em média 20% ao ano e já publicou quase 400 títulos nas mais diversas áreas do conhecimento, como educação, história, geografia, comunicação, cultura e serviço social.

Serviço:

Lançamento: 4/9/2013, 4ª. feira, a partir das 18h30
Livraria Martins Fontes Paulista
Av. Paulista, 509 (Estação Brigadeiro do metrô)
Estacionamento: Rua Manoel da Nóbrega, 95

ícone Topo