12/11/2014
MICROQUIMICA
Sistema de administração por segmentação de áreas aumenta produtividade
Empresa mostra como o projeto baseado em filosofia japonesa dá bons resultados e reconhece o bom trabalho dos profissionais

Em época de crises econômicas globais, mão de obra cara, altas tributações e mercados competitivos, quanto mais se produzir com o mesmo tempo, equipe e sem aumento de recursos, maiores serão os lucros para uma empresa, ou seja, maior será a produtividade.

Para atingir altos níveis de produtividade são necessários, acima de tudo, planejamento estratégico e colaboradores motivados e alinhados aos valores e metodologias da empresa. Seguindo essa lógica, o Sistema Ameba de Administração (SAA), baseado na filosofia da Seiwajyuku do Brasil, dos 12 Princípios da Administração, propõe que cada área da organização seja tratada como uma empresa individual.

Com suas próprias metas, métricas, planejamento e resultados, cada uma dessas amebas, nome que as áreas recebem, tem seus resultados somados ao todo da companhia. Também propor uma administração descentralizada, em que cada área tem autonomia, direitos e deveres, interfere positivamente na motivação do funcionário, que se sente parte fundamental do processo e se dedica às metas e atividades propostas.

Case – Microquimica

A Microquimica, empresa brasileira que atua na produção e comercialização de fertilizantes, inoculantes e agroquímicos, fundamenta seus princípios e atividades nos 12 Princípios da Administração e, desde 2009, buscando aumentar a produtividade de suas equipes, tem adotado o SAA.

Para o diretor administrativo financeiro da Microquimica, Jorge Luis de Almeida, a insistência e as pesquisas constantes fizeram o sistema funcionar dentro da empresa. “Nosso primeiro contato com o SAA ocorreu em 2005 com a palestra do Sr. Makoto Fukui, grande colaborador na difusão da filosofia Seiwajyuku. No início ficamos impressionados com o dinamismo e a capacidade das células, chamadas amebas, de se moldarem às necessidades da empresa, levando-a a atingir sua máxima eficiência nas mais diversas circunstâncias”.

Porém a ideia parecia longe da realidade da Microquimica e a implantação deste sistema de administração podia não se adequar a uma empresa com uma sazonalidade tão marcante como a de fertilizantes. 

Almeida afirma que apesar das dificuldades iniciais de adaptação, e após alguns meses intensificando os estudos no sistema, foi possível perceber a sua capacidade de se adequar em diferentes situações dentro de cada empresa, possibilitando adaptá-lo para o modelo de trabalho específico da Microquimica.

Em 2009 foi iniciado o processo de implantação do SAA, que hoje conta com dez amebas na empresa, sendo cinco comerciais regionais, uma comercial para clientes especiais (B2B – Atendimento de indústrias), duas amebas industriais (Processos Químicos e Processos Biológicos) e duas No Profit (Técnico e Administrativo).

Hoje a Microquimica é uma das poucas empresas do segmento com área comercial própria, trabalhando no regime CLT. Isso representa um custo fixo mais elevado, no entanto esse modelo é válido para a segurança jurídica, o alinhamento estratégico e a gestão efetiva dessas equipes. É possível avaliar os resultados positivos, mesmo com maior investimento, ligados diretamente a um bom sistema de gestão da operação, proporcionado pelo Sistema Ameba.

“A ação reconhece o ótimo trabalho dos colaboradores, que fazem uma gestão mais apurada e que conseguem obter resultados adequados no valor agregado de suas respectivas amebas. Esperamos que a continuidade e aprimoramento dessa prática leve a uma evolução geral da performance das equipes e consequentemente da empresa como um todo”, ressalta o diretor.

Sobre a Microquimica- Fundada em 1976, a Microquimica é uma empresa brasileira, controlada pelo grupo Agroinvest Kayatani S.A., que atua na produção e comercialização de fertilizantes. Sediada em Campinas, interior de São Paulo, a empresa possui duas filiais em Monte Mor (SP) destinadas à fabricação e distribuição de seus produtos.

Com investimentos focados em pesquisa e desenvolvimento, a Microquimica oferece ao mercado produtos como fertilizantes foliares e para tratamento de sementes, inoculantes, adjuvantes e reguladores do crescimento vegetal. A empresa também disponibiliza um sistema exclusivo de interpretação de análise de folhas, o CheckFolha®, que fornece um diagnóstico completo sobre a nutrição da planta e recomendações aos agricultores de ações corretivas.

Em busca de um desenvolvimento socioambiental, a Microquimica investe em programas sustentáveis, como o processo de logística reversa, que possibilita a reciclagem de embalagens vazias por meio do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (INPEV), e como o apoio a instituições brasileiras de assistência à criança e ao adolescente, como o Centro Infantil Boldrini e a Fundação Abrinq.

Para mais informações acesse o site www.microquimica.com

ícone Topo